Kintsugi

Vivemos em tempos descartáveis. É tudo transitório, temporário, enquanto durar. Deixámos de olhar para a vida como algo que perdura, em que se persiste e pelo qual se luta.

Perdemos o hábito de consertar as varinhas mágicas – são a dime a dozen, nem vale a pena.

A arte de recuperar – restaurar – é agora quase um exercício de teimosia, datada e desprezada.

A filosofia japonesa que dá origem ao kintsugi é wabi-sabi e ensina-nos a aceitar o que tem defeito, o que já não é perfeito. Todos os vasos se vão partindo pelo caminho. Todos. Seremos mais sábios quando aprendermos a celebrar as rachadelas como eventos de vida que merecem destaque nos feeds das nossas redes sociais. Mais – a elevá-las ao patamar de uma recuperação feita a ouro que celebra o dano e o premeia.

Kintsugi

Publicado por M.

Uma mulher. Um corpo, uma mente, um coração, uma alma. Dura, carinhosa. Desconfiada, crente. Chorosa, sorridente. Uma mulher, todos os mundos.

5 opiniões sobre “Kintsugi

    1. Tinha planeadas três semanas no Japão no final deste mês. 🙂
      Antes da pandemia andava a ler alguma ficção nipónica e acho que fiquei viciada. Lembro-me de pensar que agora sim entendia o teu amor pela Ásia.

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: