Circum navegação

Começou com a polpa dos teus dedos no meu pescoço. Logo abaixo da garganta, naquela cova onde batem as emoções. Deixaste-te ficar por aí algum tempo, numa dança entre o indicador e o médio que, sem nunca parar, me ia tomando o pulso. Afundaste os olhos nos meus e ficaste à distância de um sopro,Continue a ler “Circum navegação”

. do hedonismo

Tenho o hábito de me descrever como uma hedonista, o que regra geral levanta algumas sobrancelhas. Mais não fosse porque sou mulher e às mulheres o prazer dos prazeres ainda é reprimido. Mas acredito que em grande medida porque o conceito puro, filosófico, de hedonismo eleva o deleite a sentido último da vida, o queContinue a ler “. do hedonismo”

. da empatia

Imagens num ecrã. Eras imagens num ecrã, e nem o teu rosto se via entre elas. Mas as imagens no ecrã eram belíssimas, e as palavras eram as certas. Se os valores por trás dessas palavras fossem reais, estaria tudo lá – parecia tudo ajustado, sentia-se tudo presente. Encontrámo-nos e fomos explorando, trocando palavras, cautelosasContinue a ler “. da empatia”