. da escolha

Como sociedade habituámo-nos a achar que o direito à vida é um dever. Que pelo facto de existirmos temos algum tipo de dívida para com o colectivo. Nunca acreditei nesse mantra. A minha vida a mim pertence. Posso escolher partilhá-la, mas no final do dia é minha e apenas minha. É por isso que oContinue a ler “. da escolha”