Choro sempre em silêncio

É raro chorar. Ensinaram-me que a tristeza era fraqueza e até hoje me ficou esse instinto. Quando choro, choro de desespero; profundo, angustiado, físico e visceral. Mas sempre com timidez e, por isso, em silêncio para não perturbar o mundo a quem o meu choro nada alimenta. Fui-me avolumando pela vida, mas na realidade sóContinue a ler “Choro sempre em silêncio”