1.

Prendi o lençol por baixo do teu ombro esquerdo e enrolei-o num casulo à nossa volta, apertado por baixo das minhas costas, num conforto desesperado. Abracei-te o máximo que os meus braços me deixaram enquanto te amparava a base da nuca com o berço da minha mão. Perguntaste se podíamos ficar assim até à eternidade. Respondi-te que já lá estávamos.

Publicado por M.

Uma mulher. Um corpo, uma mente, um coração, uma alma. Dura, carinhosa. Desconfiada, crente. Chorosa, sorridente. Uma mulher, todos os mundos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: