. da angústia

Começa algures entre o externo e o umbigo, no ponto mais indefeso do nosso âmago. É um fio de dor, quase imperceptível, que vai desenhando um rasto de agonia pela artéria acima. Quando chega ao peito já é feito de espasmos e corta a respiração. Ao bater no coração explode e rasga as entranhas, esfacela a carne, queima o sangue. Sobe em grito pela garganta, mas não encontra voz. É desespero, choro que rebenta sem lágrimas, ebulição encerrada dentro dos limites da pele, unhas que arrepanham a nuca e empurram os olhos para o ar em cegueira. É convulsão que oblitera identidade e cai de joelhos no chão em tormento. É corte de navalha, agulha cravada nos pulsos, ânsia de morte em vida.

É sofrimento em esgar de prostração.

Jessica Harrison

Publicado por M.

Uma mulher. Um corpo, uma mente, um coração, uma alma. Dura, carinhosa. Desconfiada, crente. Chorosa, sorridente. Uma mulher, todos os mundos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: